Ensino de ortografia: uma reflexão sobre o livro didático e propostas de intervenção para além desse apoio pedagógico.

Carlos Eduardo Pereira

Resumo


RESUMO

Este artigo visa a promover uma reflexão sobre o conteúdo ortografia, no livro didático de Língua Portuguesa com o qual trabalhamos, bem como apresentar algumas atividades diferenciadas com vistas a levar os alunos, como um todo, a grafar as palavras consoante a orientação oficial. Sabe-se que o livro texto se apresenta como um dos recursos didáticos, e não o único, de que dispõe o docente para levar a efeito seu trabalho pedagógico cotidiano. Por conseguinte, faz-se necessário utilizá-lo e ainda buscar formas de ir além dele, que, em maior ou menor extensão, tem suas limitações. Assim sendo, antes de tudo fizemos considerações sobre o que vem a ser o “erro” em uma concepção mais ampla e em ortografia. Isso porque, em geral, há preconceitos no que concerne à forma pela qual é compreendido. Além disso, demos procedimento à classificação dos “erros” conforme sua natureza, tendo como referência alguns renomados estudiosos do assunto. Nota-se que, na maioria das vezes, grande quantidade dos aprendizes grafa as palavras inadequadamente, dado que têm como referência a pronúncia delas. Some-se a isso o fato de ainda não terem o devido conhecimento das convenções ortográficas. Tendo explicação no sistema e no processo de evolução da língua, tais “erros” são, por conseguinte, passíveis de serem não somente previstos, mas também trabalhados de modo sistêmico. Finalmente, apresentamos algumas propostas de intervenção que se voltam, sobretudo, aos alunos com maiores dificuldades na aprendizagem da escrita correta das palavras. Sem pretensão alguma, é bom que se frise, oferecer uma fórmula ou um conjunto de receitas miraculosas para a questão. Isso tudo por entendermos que a recuperação dos alunos de baixo rendimento se apresenta como um imperativo não apenas legal, mas, antes, e acima de tudo, moral. Todas as crianças, portanto, têm o direito de aprender bem.

Palavras-chave: Livro didático. Ortografia. Atividades diferenciadas.

 

 

 

ABSTRACT

 

This article aims to promote a reflection about the spelling content in Portuguese textbook with which we work, as well as to present some different activities in order to take students, as a whole, to spell words according to official guidance. It is known that the textbook is one of the teaching resources, not the only one that has the faculty to carry out their daily pedagogical work. Therefore, it is necessary to use it and still find ways to go beyond it, to a greater or less extent, has its limitations. So first of all we did considerations of what becomes the "error"; in a broader conception and spelling. This is because, in general, there is prejudice concerning the way it is understood. Moreover, the classification procedure of "errors" according to their nature, with reference to some renowned scholars of the subject. We notice that, in most cases, lots of apprentices spells the words inappropriately, since they reference the pronunciation of them. Added to this the fact that there is not proper knowledge of orthographic conventions. Having explained the system and process of evolution of language, such “errors“ are , therefore , liable to be not only expected, but also worked in a systemic way. Finally, we present some proposals for intervention and, especially, the students return with greater difficulties in learning the correct writing of words. Without any pretense to offer a formula or a set of miraculous recipes for the question. All this because we believe that the recovery of low-income students is presented not only as a legal requirement, but rather, and above all, moral. All children, however, have the right to learn well.

Keywords: Textbook. Spelling. Differentiated activities.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.