A avaliação e o exame no contexto da sala de aula

Andréia Laura de Moura Cristaldo

Resumo


Apesar de muitos avanços no que diz respeito à avaliação, principalmente no que tange a nossa LDBEN- Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9394/96 que tem a preocupação de a desvencilhar das notas, afirmando que os sistemas de ensino poderão optar pela progressão  automática, desde que não acarretem prejuízos à avaliação do processo ensino-aprendizagem, a avaliação  ainda tem se confundido com exames e práticas autoritárias, tendo como fim a atribuição de notas enquanto deveria garantir a aprendizagem do aluno.  Assim, iremos discutir aqui as práticas avaliativas que têm na realidade se configurado como exames, e que historicamente atrelaram-se a práticas autoritárias e excludentes, engessadas a uma herança psicológica e histórica, e que tem levado a reprodução até inconscientemente do modo de agir examinatório, pois, entendemos ser condição para superação dessa prática um posicionamento histórico por uma escola que não segregue e discrimine.  Para tanto, é necessário que as concepções arraigadas em nossa formação sejam desmistificadas, para que a elaboração de instrumentos utilizados de forma a direcionar a intervenção e os encaminhamentos possam se efetivar, garantindo assim que a avaliação venha cumprir sua real função: o cuidado para que o aluno aprenda.

 

Palavras-chave: Avaliação. Exame. Instrumentos.

 

 

 

Abstract

Despite many advances in terms of evaluation, especially regarding our LDBEN Law of Directives and Bases of Education 9394/96 that takes care to rid the notes, saying that school systems may opt for the progression automatic, since it does not cause harm to the evaluation of teaching-learning process, the evaluation has also been confused with exams and authoritarian practices, with the order while the grading should ensure student learning. So, here we will discuss the assessment practices that have actually been marked as exams, and have historically hitched itself to authoritarian and exclusionary practices, plastered to a psychological and historical heritage, and has taken up playing the way they act unconsciously examinatório Therefore, we believe it is a condition for overcoming a historical position that practice for a school that does not segregate and discriminate. Therefore, it is necessary that the conceptions are deeply rooted in our training demystified, that the development of instruments used to direct intervention and referrals can take place, thus ensuring that the evaluation will meet their real function: the care that the student to learn.

Keywords: Assessment. Examination. Instruments.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.